Então, esse dia chegou. Eu não acho que quem esta aqui desde o começo não imaginava isso, porque eu também não imaginava. Eu não imaginava que o que eu mais amava, o que mais me dava forças ia acabar. Mas acabou, e não é novidade para ninguém, quem não percebeu que nós temos desmoronado é realmente bobo. Eu aprendi muito com vocês, e vocês não tem noção do quanto eu fui feliz enquanto joguei com vocês, quantas vezes eu quase fiz xixi nas calças, porque eu precisava ir no banheiro mas não queria sair da frente do computador. Vocês suportaram todas as vezes que eu fui retardada, e respeitaram todos os meus ataques, eles tendo base ou não. Vocês merecem uma adm melhor, e eu não poderia ser mais grata por todas as vezes que vocês me fizeram parar de chorar, e como fizeram meu gosto musical melhorar (Duda, você me trouxe uma das bandas mais perfeitas, que é o Oasis, e Jenn, well, eu não posso deixar de dizer que eu não comecei a cantar Birthday Cake quando eu queria chorar no meio de uma aula). Vocês me trouxeram tantas piadas internas, tantas coisas boas. Eu aprendi tanto com todos vocês. Quem diria que o rp “Velho, eu quero criar um rpg” virou isso tudo. Vocês jogaram em meio a tantas coisas sem sentido, por exemplo o nome do rp. Vocês sabiam que é River Falls porque na hora de criar a URL eu estava com vontade de ir no banheiro? E vocês sabiam que no começo do rp, no segundo dia, na verdade, eu fui acusada de plagiar um rp que eu nunca tinha visitado? Ou até mesmo que eu me apaixonei por um player que ficou dois dias antes do rp começar, e depois saiu? Que eu não conversei nem por um segundo? É, estou deixando as melhores memórias para trás. Mas eu não estou deixando vocês para trás, vocês sabem que podem me achar no pudimdoniall. Eu não estou deixando as nossas historias para trás, eu nunca vou esquecer nada. E eu não posso negar que vou ficar curiosa com o que aconteceria. Ah, como eu queria que os meus sonhos se tornassem realidade -Anna entende-, ou como eu queria saber o que vai acontecer com a London e com o Drake. São coisas que eu não vou descobrir nunca, e que eu queria descobrir. Eu não acho que eu vá voltar com esse lugar, em um caso extremo eu talvez até entregue para alguém, e volte no futuro, para ver como vocês estão, ou não. Provavelmente não. 

Vocês podem estar se perguntando porque eu estou fazendo isso, e eu vou ser bem sincera - Alguns de vocês não valem jogar com os outros. Não digo isso como amiga dos outros, digo como administradora de rpg e pessoa. Alguns acham tão importante fazer dramas em ooc, xingar e enviar indiretas. Estragar planos antigos e machucar uns aos outros. Lembram daquele lance, o primeiro flop? Pois é, começou porque tem gente que acha legal se meter no meio de outros players. Eu disse isso mesmo. Não sou mais a mãe de ninguém, não tenho mais que mentir. Se eu me arrependi? É claro que sim. Mas foi do fundo do meu coração. Eu não lembro quem foi que disse “Usar os poderes de adm para proteger amiguinha é foda” mas me disseram. E eu quero que um pau bem grande se meta no meio do seu cu, porque eu faria isso por qualquer player. Como vocês conhecem bem as regras, briga em OOC estava proibida, e eu protegeria qualquer player machucado, ameaçado ou ofendido. 

Cof cof, continuando, eu acho também que devo ser mais sincera - A ideia de fechar o rp acontece há muito tempo. Esse lugar não me faz mais bem. River Falls deixou de ser meu porto seguro, e piorou a minha vida nesse último mês. Eu agora sei que não sou a única que sentia isso, e estou aliviada. Não vou falar quem me ajudou a tomar essa decisão, mas posso dizer que amo demais. Eu nunca ficaria brava com quem me faz o bem. 

Eu acho que tenho que fazer um agradecimento para quem me marcou. Mas eu tenho medo de magoar quem eu não colocar. Além que se eu colocar, vai dar muito problema, porque eu já estou sendo mais sincera do que devia. Aliás, eu deveria ser mais sincera ainda, apontar -VOCÊ, VOCÊ E VOCÊ ACABARAM COM A MINHA VIDA- mas eu não vou fazer isso. Não vou acabar com isso assim. Então saibam que quem me marcou cuidou desses personagens (se eu repetir o player não me julguem. O char pode ter me chamado atenção em só um ou outro, ou eu não lembro quem era o dono de cada um  - Stella, Mark, Tammin, Anne, Annie, Ben, Harry, London, Lana, Charlie, Paget, Kriste, Tommy, Rachel, Elena, Matthew, Jenna, Sophie, Wendy, Ella, Zac, Lala, Rosalie.

Pode ser que no meio desses nomes tenha um nome que me marcou de vez. Mas não foi para o bem. Eu tenho um pedido para vocês. Seja você meu amigo ou não, se eu vou criar outro rp ou não, você sendo legal ou não - Nunca, NUNCA trate os players de uma forma mais baixa que o bom. Nunca trate as pessoas como se você fosse o dono do rp, quando você não é. Eu sou a dona, e eu sempre tentei tratar todos vocês da mesma forma. Nunca faça dramas desnecessários, porque isso é um jogo. Ninguém depende de ninguém. Se eu (só um exemplo, que na verdade é uma realidade, o que é irônico e meio medonho) abandonasse o Josh. O que aconteceria? A Sophie acabaria? Não. A Tata daria um jeito de continuar com ela. Porque em um jogo, temos que continuar nos movendo.

Com muito amor, carinho, e sinceridade

Giu e Maristelo.

Goodbye, sunshine.
Take care of yourself.
I have to go, I have to go,
I have to go, and leave you alone
But always know, always know,
Always know, that I love you so
I love you so,
I love you so

One night and one more time
Thanks for the memories
Even though they weren’t so great
He tastes like you only sweeter.
One night yeah, and one more time
Thanks for the memories.
Thanks for the memories.
See, he tastes like you only sweeter.


Anonymous asked: "Então... eu tava te stalkeando no pudimdoniall e eu li umas coisas... Você quer comentar?"

Não, ainda não. Não vai ser o fim, vocês sabem. Se eu realmente fizer, eu vou arranjar pessoas para vocês. Não se preocupem, vai ser a mesma coisa.



Anonymous asked: "Deletei -Zoey"

Anonymous asked: "Já podemos começar a votar?"


Ethan Clark aceito

Tha, pode criar o tumblr


james-theking:

Droga. Eu estou completamente bêbado. James pensou enquanto subia novamente no palco novamente, depois do último aluno sem apresentar. Cambaleou até ele bêbado, colocando a mão no ombro dele. Não fazia mais a mínima ideia se era menino ou menina. “Você foi ótimo, gatinho. Me liga depois disso, é 3854000-3nada.” ele riu meio idiota, e subiu no palco, com uma guitarra. Se aproximou do microfone, sorrindo para os alunos que agora estavam gritando coisas sobre ele. Jogou a garrafa de rum para dentro, no backstage, que habilmente foi pega por uma assistente, apavorada. “Eu vou dançar. Não. Eu vou cantar. Não. Espera, eu não sei o que vou fazer. Bem, hm, eu vou seduzir vocês, é isso, se preparem.” Ele sabia que se arrependeria depois, mas o álcool sempre fazia efeito. Alguém tinha ligado uma faixa animada atrás dele, e ele começou a tocar no ritmo. Com os quadris acompanhando a música, ele começou a cantar

Well, one for all and all for one 
And all we want is to have some fun 
Owh, squares beware of our property 
Yeah, if you’re lookin’ to rumble 
You’re lookin’ at me 

‘Cause I’m the king (king cry-baby) 
‘Cause I’m king (king cry-baby) 
Yeah, I’m the king (king cry-baby) 
A king cry-baby with a tear in my eye 
and if you mess with the king, you’re gonna cry, baby
cry 
Baby cry, baby cry, baby cry, wow! 

Well, I was born on the wrong side of the tracks 
In the backseat of a stolen Cadillac 
I had my first cigarette before I could walk 
And I was strummin’ this guitar before I could talk 

‘Cause I’m the king (king cry-baby) 
Yeah, I’m the king (king cry-baby) 
Oh, I’m the king (king cry-baby) 
A king cry-baby with a tear in my eye 
If you mess with the king, you’re gonna cry, baby cry

Baby cry, baby cry, baby cry 

Well, I’m a lonely king who needs a queen 
Yeah, you’re the sweetest hunk of sugar that I’ve ever
seen 
Ain’t got a ring or crown for you 
Well, if I had your love 
I’d lose these cry-baby blues 

She’s the queen, she’s the queen, she’s the queen 
well, let people talk, I don’t care 
let me prove to you daddy that I ain’t no square 
You’ll be my queen and I’ll be your king 
yeah, but if you leave my hive, you’re gonna feel my
sting 

‘Cause you’re my queen (queen cry-baby) 
You’re the king (king cry-baby) 
King and Queen (cry-cry baby) 
A king cry-baby with my queen by my side 
and if you mess with us man, you’re gonna cry, baby
cry 
Baby cry, baby cry, baby cry 
cry Baby cry, baby cry, baby cry 
cry Baby cry, baby cry, baby cry 

A king cry-baby with my queen by my side 
and if you mess with us man, you’re gonna cry, baby
cry 
Baby cry, baby cry, baby cry 
cry Baby cry, baby cry, baby cry 
cry Baby cry, baby cry, baby cry  
Ele tentou ignorar as peças de roupas que haviam sido jogadas no palco, rindo. Aquilo era uma calcinha? Bom, ele seduzia as pessoas de verdade, pelo jeito. Como não seduzir. “Esqueçam tudo o que vocês viram agora. E se lembrarem, tomara que tenham prestado bastante atenção. Porque eu não vou repetir. Tenham uma boa noite, mais tarde eu volto com os resultados da apresentação. ” Saiu andando com passos pesados, gritando por alguém que tivesse mais bebida. Muitos poderiam achar que ele estava passando dos limites, mas era assim que SEMPRE passava suas sextas feiras.


james-theking:

Eu estava nervosa, muito nervosa. Para começar, nem deveria ter me inscrito nisso. Ainda tinha tempo para desistir. É, desistir, eu sempre desisto de tudo, então por que não poderia fazer isso nesse momento? Não estava pronta para que o colégio inteiro me ouvisse cantar, eu realmente não estava preparada para isso. Acompanhei o show de talento desde o começo e havia muitos talentos únicos e realmente bons em River Falls e isso me fez ficar mais insegura. Me perdi tanto em meus pensamentos que nem ouvi direito meu nome ser chamado ao palco. Era a minha vez? Mas já? Respirei fundo e fiquei apavorada. O medo e vergonha subiram por todo meu corpo, minhas pernas ficaram bambas e eu mal conseguia levantar. Eu não era capaz de fazer aquilo, eu sei que iria acontecer algo de ruim. Tentei deixar meus pensamentos para o lado e me focar no que estava acontecendo agora. Levantei-me, juntando todas as forças possíveis que consegui encontrar no meu corpo e andei até o microfone no centro do palco. Eu deveria falar meu nome ou começar a cantar logo? Segurei o microfone com minhas duas mãos e fechei os olhos, imaginando estar em uma sala vazia. A música começou e eu abaixei a cabeça, ainda com os olhos fechados. Quando comecei a cantar parecia que tudo de ruim no mundo havia sumido… Meu corpo ficou calmo e logo se acostumou com o palco e como mágica, pela primeira vez na vida, soube do que eu era capaz. Queria mostrar isso para o mundo e começar pelo colégio não é nada mal. Sonhar não tirava pedaço de ninguém. Jogava minha cabeça para trás e balançava meu cabelo para todo lado. Quando a música acabou, por algum impulso da empolgação de estar no palco pela primeira vez na vida, eu joguei o pedestal de microfones no chão.


james-theking:

Lana subiu no palco com muito receio e com as mãos suando por cima da guitarra. Ajustou-a na posição correta, pendurada em seu pescoço, e engoliu em seco. Se guiou até o meio do palco e chegou mais perto do microfone. “Erm… eu sou… Lana Benson e tenho… dezesseis anos”, respirou fundo antes de continuar. Já estava ali mesmo, pra quê perder tempo? Nunca tinha sido tímida.

Imaginou todos de roupa íntima e riu baixo com o pensamento, sua animação de dias atrás voltando aos poucos. “Eu vou cantar uma música que eu mesma compus. Se chama All The Way Up”. Ela foi até um Stereo ali perto, ligado aos amplificadores e colocou o CD do seu solo de bateria em um volume mais baixo do que o da guitarra e de seu microfone, para acompanhar com a guitarra. Sim, ela tocava ambos instrumentos, mas ainda não tinha descoberto uma maneira de tocar os dois ao mesmo tempo. Enquanto isso, usaria “playback” de bateria e cantaria e tocaria guitarra ao vivo.

(ooc Ignorem os meninos tocando e o teclado também, só há a guitarra e no CD a bateria…)

A música começou e ela dedilhou as cordas, tocando as primeiras notas olhando para a guitarra e depois para todos. Prometeu a si mesma que confiaria em suas mãos e não olharia para a guitarra uma vez sequer depois de iniciada a música. Tinha treinado muito para isso, desde pequena. Não falharia agora. Começou a cantar e impediu que qualquer vergonha tomasse conta do seu corpo. Ela estava com uma energia ótima e não via a hora de olhar para alguns e vê-los sorrindo ou quem sabe até aplaudindo. Ou será que todos vaiariam?

I like to bite my nails | Eu gosto de roer minhas unhas
And play the air guitar | E tocar a guitarra imaginária
I like to keep my suitcase packed | Eu gosto de manter minha mala pronta
‘Cause I’m going far | Pois eu estou indo longe

I think you’re nice | Eu te acho legal
But I don’t wanna waste my time | Mas não quero perder meu tempo
I may seem crazy | Eu posso parecer louca
But don’t worry, I’m just fine | Mas não se preocupe, eu estou bem

Quis olhar para a guitarra, mas simplesmente não conseguiu. Seus olhos estavam vidrados nas pessoas que estavam assistindo-a.

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

Want it my way | Quero do meu jeito
I do what I do | Eu faço o que faço
I know what I like | Eu sei do que eu gosto
Maybe it’s you | Talvez seja você

Parou o olhar em um garoto que estava ali… Josh. Sorriu. Um grande grandeamigo. Depois em uma garota. Paget. Outra grande amiga. Sorriu de novo. Parou o olhar no professor e se conteu para não rir com as lembranças daquela noite. Havia encontrado várias pessoas nesse colégio que mudaram sua vida. Com certeza tinha sido uma ótima experiência, e bem melhor que Brighton. Não se arrependia de nada. Sorriu, sem parar de cantar e tocar.

Let’s rock | Vamos arrasar
It’s a temporary life | É uma vida temporária
It’s a ride | É uma jornada
That takes you… | Que te leva…

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

I like to go out walking | Eu gosto de sair andando
In the pouring rain | Na tempestade
I want my rock ‘n’ roll | Eu quero o meu rock ‘n’ roll
To make the window shake | Para fazer a janela tremer

I wait ‘till 3 am | Eu espero até três da madrugada
To call everyone I know | Para ligar pra todos que conheço
I’m gonna bring the noise | Eu vou trazer o barulho
I’m ready, here we go | Estou pronta, lá vamos nós

Fez uma dancinha com os pés, mas a vergonha estava voltando quando todos olharam para seus pés agitados. Além do que não queria se desconcentrar.

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

Want it my way | Quero do meu jeito
I do what I do | Eu faço o que faço
I know what I like | Eu sei do que eu gosto
And maybe it’s you | E talvez seja você

Let’s rock | Vamos arrasar
It’s a temporary life | É uma vida temporária
It’s a ride | É uma jornada
That takes you… | Que te leva…

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

It’s my life | É a minha vida
And it’s alright | E está tudo bem
Come on baby | Vamos lá, baby
You can’t deny it | Você não pode negar

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Holdin my breath | Segurando minha respiração
Lettin’ it out | Soltando-a

I want it my way | Eu quero do meu jeito
I do what I do | Eu faço o que faço
I know what I like | Eu sei do que gosto
Baby | Baby

Seus olhos brilhavam e sorriam ao mesmo tempo. Era um grande dia, que ficaria marcado em sua memória. A primeira vez que apresentava uma música sua na frente de tanta gente! Uau… se impressionou com a sua coragem e se incentivou a terminar.

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

I want it my way | Eu quero do meu jeito
I do what I do | Eu faço o que faço
I know what I like | Eu sei do que eu gosto
And maybe it’s you | E talvez seja você

Let’s rock | Vamos arrasar
It’s a temporary life | É uma vida temporária
It’s a ride | É uma jornada
That takes you… | Que te leva…

All the way up | Até lá em cima
All the way down | Até lá em baixo
Never look back | Nunca olhe pra trás
It’s time to breakout | É hora de fugir

It’s time to breakout | É hora de fugir
It’s time to breakout | É hora de fugir
Right now | Agora mesmo

Ela terminou no momento certo. Sincronizadamente certo. Agradeceu, tirou a guitarra do pescoço e a segurou pelo braço, tirou o CD do Stereo, virou novamente para eles, em um ato ímpeto de animação jogou um beijo no ar, sorriu mais uma vez e saiu do palco saltitando. Eu consegui, pensava.Consegui cantar em público. Meu maior medo. Eu… Eu consegui.


james-theking:

Roupa?  Ok. Música? Ok. Coragem? …Ok. Jessica estava muito nervosa para cantar no show de talentos. Primeiro porque era um de seus primeiros dias no River Falls e já iria participar de um evento do colégio, e segundo porque nunca tinha cantado em público. Quer dizer, não para plateias enormes (como seria num show de talentos qualquer), mas somente para amigos e família. Mas algumas pessoas já haviam lhe dito que sua voz era bonita. Foi por isso que ela resolveu se inscrever.

Apesar de seu medo de palco — que não era frescura, a garota tinha mesmomedo de se apresentar para mais de sete pessoas —, ela tentaria fazer isso. Talvez o simples ato de subir num palco, fechar os olhos e cantar, como se ninguém a estivesse ouvindo, mudaria tudo isso, todo esse seu problema com o público. E foi com esse pensamento que a garota conseguiu se vestir e seguiu em direção até onde seriam realizadas as apresentações.

Já havia escolhido que música iria cantar, há alguns dias atrás, e passara os dias que se seguiram treinando. Qual seria? Rolling in the Deep, da Adele. Jess amava essa música, não sabia por que direito, mas ela lhe trazia sensações boas. E era fácil de se cantar. Por que não? Observava os outros alunos irem até o palco e mostrarem suas melhores performances, não só no canto, mas também existiam alunos que dançavam, faziam peças teatrais ou malabarismo, entre outras coisas. 

Quando ouviu um sonoro “Jessica Stone” ser falado por alguém no microfone, a ruiva tentou apenas ignorar. “Talvez não seja eu, talvez seja outra Jessica com o mesmo sobrenome que o meu” pensou, olhando fixamente para uma formiga no chão. Mas quando ouviu chamarem seu nome pela segunda vez, a garota se rendeu. Respirou fundo andando a passos lentos até o palco, forçando-se a não olhar para a plateia. Impossível. Quando pisou no palco, seu rosto, meio que instintivamente, virou-se para as pessoas que assistiam. Então veio a onda de pânico. “Eu vou errar a letra. Eu vou tropeçar, vai cair um holofote em mim. Eu não vou conseguir” pensou, sendo o mais pessimista possível, o que era nada bom naquela altura do campeonato, assim por dizer. Deu um passo para trás sem perceber, mas de repente lembrou-se do porquê de estar ali: sua voz; Claro, Jess não a achava uma das melhores do mundo, mas pelo menos era boa, era o que lhe falavam. Sorriu de leve e voltou a se dirigir para o centro do palco, onde parou e virou-se para a plateia, agora em total silêncio. Fechou os olhos e suspirou uma última vez antes de começar a cantar.

Jessica terminou os últimos versos da música, mas não com os olhos fechados. Sim, ela havia conseguido, ela havia aberto os olhos um pouco depois do início da música e não havia sentido vergonha. Então, sentindo-se orgulhosa de si mesma, a garota sorriu largamente e agradeceu à plateia, que agora a aplaudia. No final de tudo, não havia se saído tão mal assim. Ou pelo menos achava que não.